Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram

Plano Estratégico para o Turismo

O turismo assume um papel estruturante na economia local e regional.

O setor representa 24% do PIB e 15% do emprego total da RAM. De salientar que essa importância resulta não só dos proveitos diretos gerados, mas também da atividade induzida. Muita da atividade local de comércio e serviços está fortemente dependente da atividade turística. O papel dos municípios é determinante na qualidade do produto turístico de uma região.

É ao nível local que se vivenciam as experiências. O lema maior do Turismo de Portugal é “Receber Bem”, oferecendo um bom produto turístico e experiências únicas. Sabemos que é ao nível local/municipal que o turista perceciona se é ou não bem recebido, pelo que a responsabilidade dos municípios nesta matéria é grande.

A ação do município na área do turismo tem vindo a pautar-se por um conjunto de atividades e de iniciativas que carecem de enquadramento estratégico. Tal só é possível com o estabelecimento de prioridades, coordenado com os agentes locais e alinhado com a estratégia ao âmbito regional e nacional. A elaboração do presente documento teve por base as competências do município na área do turismo, a experiência dos seus colaboradores e um conjunto diversificado de documentos técnicos, designadamente o Documento Estratégico para o Turismo na RAM, o Plano Estratégico Nacional do Turismo, entre outras referências bibliográficas sobre a temática. O trabalho está estruturado em quatro pontos.

No primeiro, são tratados alguns dados fundamentais à compreensão das dinâmicas do setor, no segundo é evidenciado o potencial turístico do município sendo que, nos pontos seguintes, são apresentadas a estratégia municipal para o turismo e o programa de ação para o período 2016-2017, através do qual o município pretende dar corpo à estratégia definida.

Atento às tendências do mercado turístico e num quadro de escassez de recursos, urge uma estratégia.

As condições naturais da ilha, o vinho e o artesanato já não constituem, per si, fatores suficientemente diferenciadores do destino.

É necessária uma visão holística do “produto turístico” que, cada vez mais, tem de assentar na excelência e na diferenciação.

Novas sensações e emoções fortes, é o que o turista de hoje mais procura.

Programa