Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram

Serviços OnlineBalcão do InvestidorContratos PúblicosPDM UrbanismoTransparênciaEditaisReabilitação Urbana

Estação de Biologia Marinha

A Estação de Biologia Marinha do Funchal, inaugurada no dia 28 de setembro de 1999, é uma instituição vocacionada para a investigação científica e divulgação das ciências e tecnologias do Mar, em especial nas áreas da biologia e ecologia do litoral e de águas profundas.

A Estação, localiza-se no Cais do Carvão, antigo depósito de carvão datado do início da Revolução Industrial, situado em plena Promenade de Orla Marítima do Funchal, na zona do Gorgulho e é um edifício da autoria do arquitecto Gonçalo Byrne constituído por seis pisos, ao longo dos quais se distribuem vários laboratórios com diferentes características, cada qual com as suas funções: taxonomia, ecologia litoral, ecologia de águas profundas, culturas de fito e zooplâncton, etc.

Para apoio às actividades científicas desenvolvidas na zona costeira a Estação possui um Centro de Mergulho Cientifico localizado na plataforma exterior.

O piso -1 contém um espaço reservado à conservação das colecções de estudo e referência do Museu de História Natural do Funchal.

Na Estação, desenvolvem a sua atividade duas equipas de investigadores: a de Biologia Marinha do Departamento de Ciência e Recursos Naturais da Câmara Municipal do Funchal e a da Faculdade de Competências das Ciências da Vida da Universidade da Madeira. Estas duas equipas participam em vários projetos de investigação, incluindo estudos sobre a diversidade dos peixes e crustáceos do mar profundo da Macaronésia, biologia e migração das tartarugas marinhas, parasitologia de peixes, espécies invasoras, biologia e ecologia costeira e biologia e migração das aves marinhas pelágicas.

Paralelamente, a Estação desenvolve também atividades ligadas à divulgação do meio marinho e educação ambiental, quer de forma autónoma, quer em parceria com outras entidades públicas ou privadas.

A Estação é membro da rede Europeia de Estações de Biologia Marinha (MARS), do Observatório Oceânico da Madeira (OOM) e parte integrante do IMAR – Instituto do Mar, instituição que agrupa a maioria dos laboratórios e investigadores portugueses ligados às ciências do mar.
A direção da Estação de Biologia Marinha do Funchal está à responsabilidade da Dra. Mafalda Freitas, Bióloga, especialista em sistemática de tubarões e raias de profundidade e Conservadora de Moluscos marinhos do Museu de História Natural do Funchal.

 

I. PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO

PROJETO HORIZONTE 2020 - "GOJELLY”

Este projeto pretende combater a poluição marinha de plástico com recurso à biomassa produzida a partir de águas-vivas. Conta com um financiamento da Comissão Europeia (Horizonte 2020) e envolve 15 parceiros oriundos de seis países europeus (Portugal, Alemanha, Noruega, Itália, França e Eslovénia) e ainda de Israel e da China. O Observatório Oceânico da Madeira (OOM) é o parceiro português, dispondo de uma verba de 400 mil euros para desenvolver a parte da investigação que lhe compete, nomeadamente a captura de águas-vivas e o estudo do seu ciclo de vida em laboratório. A equipa de investigação do OOM é constituída por Carlos Andrade (Centro de Maricultura da Calheta) e João Clode (MARE-Madeira) que lideram o projeto e ainda por Natacha Nogueira (CMC) e Mafalda Freitas (Estação de Biologia Marinha do Funchal).

PROJETOS POMAC 2014-2020:

- MACAROFOOD (MAC/2.3d/015) - Valorização dos produtos marinhos da Macaronésia: turismo, gastronomia e capacitação profissional. Tem como objetivo a criação de uma parceria entre instituições e empresas para desenvolver sinergias entre as ciências marinhas e sociais e a gastronomia para impulsionar um turismo de excelência e valorizar os produtos marinhos locais, como estratégia de crescimento inteligente no Espaço de Cooperação. Orçamento total: 624.801,00€; CMF: 71.329,00€ (2017-2019). Investigador responsável: Mafalda Freitas.

- MARISCOMAC (MAC/2.3d/097) - Desenvolvimento de condições técnico-científicas, formação, transferência de tecnologia e conhecimento, visando fomentar a exploração e comercialização sustentável de mariscos na Macaronésia. Tem como objetivo o desenvolvimento de condições técnicas e bases científicas para a exploração sustentável de mariscos nas águas, quer costeiras quer profundas, da Madeira, Canárias e Cabo Verde e sua comercialização bem como a transferência de conhecimento e tecnologia para a fileira das pescas. Orçamento total: 465.604,00€; CMF: 95.070,50€ (2017-2019). Investigador responsável: Mafalda Freitas.

PROJETO COMPETE 2020

- PlasticGlobal - Assessment of plastic­mediated chemicals transfer and effects in food webs of deep, coastal and estuarine ecosystems under global change scenarios (PTDC/MAR­PRO/1851/2014). Este projeto teve início em janeiro de 2017 e decorre até dezembro de 2018. Prevê-se a recolha de aves marinhas nas Selvagens e peixes obtidos no mercado para a deteção de microplásticos no respetivo tubo digestivo. Estes por sua vez serão analisados quimicamente no IPMA em Lisboa e no ICBAS no Porto. Orçamento total: 199.140,00€, Madeira: 22.704,00€. Investigador responsável: Manuel Biscoito.

PROJETO OOM – BIODIVERSIDADE COSTEIRA

Este projeto teve início a 1 de Setembro de 2016, na Estação de Biologia Marinha do Funchal, inserido no Projeto OOM – Observatório Oceânico da Madeira, e visa atualizar o inventário da biodiversidade marinha costeira e o estudo das comunidades infralitorais e circalitorais do Cabo Girão e da Ponta de São Lourenço. Este projeto é liderado pela bolseira OOM pós-doc Cláudia Ribeiro e envolve também o bolseiro de investigação OOM Pedro Neves.

PROJETO OOM – BIODIVERSIDADE PROFUNDA

Este projeto teve início a 1 de Setembro de 2016, na Estação de Biologia Marinha do Funchal, inserido no Projeto OOM – Observatório Oceânico da Madeira, e visa estudar as comunidades bentónicas da vertente insular da Baía do Funchal e identificar impactos antropogénicos no ambiente profundo, nomeadamente plásticos e outro lixo marinho. Este projeto é liderado pela bolseira OOM pós-doc Andreia Henriques. Estão a decorrer as triagens dos sedimentos e a identificação dos organismos encontrados.

GRM/SRA

CORDECA - Monitorização do recife artificial no Porto Santo

Projetos auto-financiados

  • Gelavista – “Citizen Science”. Monitorização de organismos gelatinosos pelágicos coordenado pelao IPMA (Instituto Português do Mar e da Atmosfera)
  • Ictiologia das fontes hidrotermais profundas
  • Capturas acessórias da pescaria do peixe espada preto
  • Ecologia e taxonomia de peixes condrícteos
  • Impacto dos sedimentos de origem telúrica nos ecossistemas litorais
  • Biodiversidade e biogeografia de crustáceos decápodes da Madeira

 

II. ATIVIDADES EDUCATIVAS E DE DIVULGAÇAO

1. Dia Aberto - na última segunda-feira de cada mês a Estação de Biologia Marinha do Funchal abre as suas portas ao público, no chamado Dia Aberto, desenvolvendo atividades didáticas ligadas à investigação marinha. As visitas são gratuitas mediante marcação prévia.

A visita guiada às instalações da Estação inicia-se com uma palestra temática sobre as atividades de investigação desenvolvidas na Estação. Segue-se uma visita à Biblioteca “Prof. Luiz Saldanha”, aos Laboratórios de Ecologia, Taxonomia e Húmido e à sala das coleções marinhas de referência do Museu de História Natural do Funchal. Durante a visita realizam-se atividades educativas adequadas à faixa etária: experiências, jogos, fichas temáticas e workshops.

2. Workshops na Estação ou nas escolas:

- "O Mar Profundo", que consiste em mostrar aos visitantes todo o processo que decorre desde a captura dos crustáceos (camarões e caranguejos) à sua conservação nas colecções biológicas de referência do Museu de História Natural do Funchal;

- “Há vida na areia”, onde os visitantes observam à lupa alguns pequenos organismos que existem na areia do fundo do mar da Madeira, como bivalves (conchas) e gastrópodes (búzios), dificilmente identificáveis a olho nu.

- “Ouriços e estrelas do mar da Madeira”, os jovens podem interagir com estes animais vivos, capturados nas nossas águas e posteriormente libertados.

-“Sensibilização à Pesca Desportiva no Cais do Carvão”, onde xxx podem aprender a técnica de pesca à boia com cana, identificam os peixes capturados para logo os devolverem ao mar. Aqui também podem observar que peixes são capturados pelos pescadores que vêm ao cais diariamente pescar.

3. Noites Abertas - Uma noite por mês, nos 3 meses de Verão, a Estação de Biologia Marinha do Funchal abre as suas portas ao público com o intuito de mostrar o que se faz neste laboratório, tanto na componente da investigação como na componente da educação ambiental. Para além das visitas guiadas, realizam-se também, projeções, pequenas palestras e outras atividades variadas, ligadas ao tema escolhido para cada mês.

Atividades várias:

  • Palestras em escolas: Poluição marinha, Lixo no mar, Biodiversidade marinha da Madeira entre outras.
  • Exposição temporária “Tesouros profundos do Oceano Atlântico”
  • Programa Bandeira Azul
  • Estágios Erasmus e estágios temporário
  • Atividade “Biólogo por um dia” através do projeto “Shadowing: O dia-a-dia de um profissional”
  • Formação de curta duração para professores e outro público-alvo,
  • Atividades para comemoração de dias temáticos como o
  • Dia da Criança (1 de junho), Dia Mundial do Ambiente (5 de junho) dia dos Oceanos (8 de junho) e Dia Nacional do Mar (16 de novembro).
  • Participação em visitas de estudo, trabalhos de campo e de mar
  • Elaboração de folhetos e material de apoio às visitas

Contactos

      Cais do Carvão, Promenade da Orla Marítima do Funchal
      Gorgulho
      9000-107 Funchal
      Telf: +351 291 700 360
       Fax: +351 291 211 009
       Mail: ebmf@cm-funchal.pt
 
Para marcação de visitas guiadas no Dia Aberto (última segunda-feira de cada mês, das 09H00 às 12H30 e das 14H00 às 17H30) enviar correio eletrónico com pelo menos 8 dias de antecedência, indicando o número de participantes e o nível de escolaridade.