Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram      Município do Funchal

quinta, 18 fevereiro 2021 18:17

Trabalhos de construção da nova acessibilidade ao sítio do Laranjal decorrem a bom ritmo

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, e o Vereador com o pelouro das Obras Públicas, Rúben Abreu, acompanharam durante a tarde de hoje, em Santo António, os trabalhos que decorrem na nova acessibilidade ao sítio do Laranjal. Este investimento municipal de 170 mil euros vai melhorar a acessibilidade a moradias e terrenos para cerca de duas dezenas de famílias.

Miguel Silva Gouveia sublinha  que “este é mais um investimento de proximidade com muito significado para a população residente que esperava por esta nova acessibilidade há cerca de 30 anos. Este Executivo tem vindo a apostar como nunca na melhoria das zonas altas, e Santo António tem sido uma freguesia beneficiada neste aspeto, onde temos vindo a trabalhar em prol do desenvolvimento do nosso território e da melhoria das condições de vida das populações, com resultados que estão à vista de todos.”

A abertura deste novo arruamento é de elevada complexidade e vai  permitir o acesso automóvel aos moradores e proprietários dos terrenos adjacentes ao atual acesso pedonal, sendo executada ainda uma zona de inversão de marcha no final do arruamento a construir. Em Santo António, a Autarquia visitou também, durante o fim-de-semana, a obra da Vereda dos Farias e a zona dos Três Paus e Viana, e os trabalhos que ali têm vindo a ser desenvolvidos.

O edil funchalense conclui que “apesar dos dois orçamentos municipais consecutivos chumbados pelo PSD e pelo CDS, a CMF vai fazer tudo o que está ao seu alcance para impedir que propósitos estritamente políticos cortem o investimento público, o desenvolvimento do concelho, e que prejudiquem os funchalenses. O compromisso de quem governa a cidade é com os cidadãos, e é por isso que vamos continuar no terreno, ouvindo as preocupações dos residentes e procurando, com muito empenho, novas soluções para corresponder às necessidades da população e para dar continuidade aquele que é um dos nossos objetivos estratégicos, e que passa pela redução de assimetrias no concelho.”