Imprimir esta página
sexta, 15 março 2019 12:43

Museu Henrique e Francisco Franco apresenta espólio ao longo do Caminho Real da Madeira a 23 de março

A Vereadora Idalina Perestrelo marcou presença, ontem à tarde, no Museu Henrique e Francisco Franco, para a apresentação oficial da mais recente iniciativa do projeto “Museu Sai à Rua”, concebida em parceria com a Associação do Caminho Real da Madeira.

No próximo dia 23 de março terá, assim, lugar uma mostra de arte ao ar livre, que irá percorrer um itinerário na freguesia da Ponta do Pargo, com partida da Capela da Nossa Senhora da Boa Morte, pelas 10h, e chegada à Igreja da Ponta do Pargo. A iniciativa conta com o apoio da Junta de Freguesia da Ponta do Pargo, da Câmara Municipal da Calheta e do grupo Veredas & Levadas. O ponto de encontro está marcado para as 9h30 na Igreja da Ponta do Pargo, e a organização disponibilizará transporte aos caminheiros até ao local da partida.

Idalina Perestrelo começou por louvar a iniciativa de “recriar este nosso museu ao ar livre um pouco por toda a ilha, com reproduções das peças em escala real, reinventando aquele que é o tradicional acesso à cultura e valorizando significativamente o valor do espólio cultural da nossa cidade, à medida que o promovemos. Desta vez, vamos inovar e aliar a beleza de um percurso menos usual, natural e fora do centro urbano, neste caso na Ponta do Pargo, à excelência de mais de duas dezenas de obras dos pintores Henrique e Francisco Franco, que estarão dispostas ao longo do itinerário.”

“A arte e a cultura devem ser um fator de união, de fácil acesso e devem representar um valor acrescentado para a nossa comunidade. Através desta iniciativa, o Museu Henrique e Francisco Franco assume o compromisso de descentralizar e democratizar a cultura, levando-a ao encontro das pessoas, e em consonância com o património natural da nossa Região, algo completamente novo e que com certeza fará muito sucesso”, acrescentou a autarca, elogiando “o dinamismo que tem vindo a ser demonstrado pela Associação do Caminho Real da Madeira na promoção deste nosso património secular, ao qual a Câmara Municipal do Funchal tem agora a oportunidade de se associar.”

O percurso entre a Capela da Nossa Senhora da Boa Morte e a Igreja da Ponta do Pargo estende-se ao longo de 5 quilómetros, onde estarão expostas 24 pinturas dos irmãos Henrique e Francisco Franco, que serão comentadas por Esmeralda Lourenço, ao longo de uma caminhada pedestre. As obras retratam sobretudo paisagens e pessoas da localidade, porque a Ponta do Pargo é a origem da família materna dos irmãos, dois dos mais importantes artistas madeirenses do século XX.

O Museu Henrique e Francisco Franco saiu à rua pela primeira vez em 2017, com uma exposição na Baixa do Funchal, na freguesia de São Pedro. No ano passado, as réplicas do museu estiveram expostas, por sua vez, no Estabelecimento Prisional da Madeira.