Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram

segunda, 11 fevereiro 2019 17:55

Bruno Martins defende que Funchal é referência nacional na Reabilitação Urbana

O Vereador Bruno Martins, que tem o pelouro da Reabilitação Urbana no Município do Funchal, presidiu, esta tarde, nos Paços do Concelho, à abertura do Ciclo Formativo sobre Reabilitação Urbana, promovido pela Câmara Municipal do Funchal, em parceria com a Ordem dos Arquitetos – Delegação da Madeira, no âmbito do Acordo de Colaboração “Abre Portas”, numa sessão que contou com mais de cem pessoas presentes.

Bruno Martins começou por destacar a relevância deste ciclo formativo, que “integra um tema fundamental para a nossa cidade, que é a Reabilitação Urbana, considerada pelo Presidente Paulo Cafôfo o desafio da década para o Funchal”, aludindo, de seguida, ao trabalho de fundo dos últimos anos, com a criação da primeira Área de Reabilitação Urbana da Região, e o Programa de incentivos fiscais Cidade com Vida, bem como a Revisão do PDM do Funchal, 21 anos depois, prevendo, na sua génese, a promoção da reabilitação urbana.

O autarca sublinhou, na ocasião, o interesse que o património edificado histórico detém na identidade cultural da cidade do Funchal, recordando outros passos importantes liderados pelo Município, como a classificação das muralhas do Brigadeiro Oudinot e a classificação das pontes históricas do Funchal, para explicar, de seguida, que “o Funchal dinamiza todo este processo sob o signo da regeneração do espaço público, não só no sentido de reabilitar edifícios, mas também de trazer habitação jovem para o Funchal, um projeto que estamos neste momento a desenvolver, a par de outros grandes projetos catalisadores de mudanças dinâmicas para a cidade, como são os projetos da Fernão Ornelas ou da Praça do Município, cujo estudo prévio acabámos de receber, da autoria do arquiteto Gonçalo Byrne, numa intervenção que vai avançar este ano. Estamos, em suma, a desencadear um efeito multiplicador e potenciador de evidentes mais-valias para a economia local, numa visão de crescimento harmonioso e em respeito pelos valores patrimoniais da cidade do Funchal.”

O Funchal mantem-se, neste momento, no pódio a nível nacional, no que diz respeito ao número de intenções de candidaturas ao IFRRU 2020 – Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas, bem como à emissão de pareceres prévios de enquadramento, segundo os dados da estrutura de gestão do IFRRU.

O ciclo formativo continua na próxima segunda-feira, dia 18 de fevereiro, com o arquiteto Filipe Borges de Macedo a abordar o tema da “Reabilitação a custos controlados”, a partir das 9h. Por fim, na última segunda-feira do mês, a 25 de fevereiro, a professora Dulce Lopes irá debater, pelas 9h, “A Concretização da Reabilitação Urbana em Portugal”, sendo que, da parte da tarde (14h), o encerramento deste ciclo ficará a cargo do arquiteto Rui Campos Matos, com o tema “Quintas Madeirenses – especificidades e formas de intervenção”.