Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram

quinta, 07 dezembro 2017 10:04

Paulo Cafôfo destacou “o trabalho extraordinário e único do Gabinete da Cidade, um marco no pensamento do Funchal para a próxima década”

Paulo Cafôfo destacou “o trabalho extraordinário e único do Gabinete da Cidade, um marco no pensamento do Funchal para a próxima década” O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, apresentou hoje, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a conclusão dos trabalhos do Gabinete da Cidade, a estrutura criada na dependência da autarquia, após os incêndios de agosto de 2016, com o objetivo de acelerar a regeneração e o reordenamento urbano do Funchal, e cuja primeira grande mostra é o site oficial, em http://gabinetedacidade.cm-funchal.pt/.

Paulo Cafôfo explicou que “o site acaba por ser o primeiro momento para expor uma síntese estruturada de todo o conhecimento produzido pelo Gabinete da Cidade no último ano e meio. A partir daqui, o Gabinete deixa de ser da Câmara, e dos arquitetos que foram convocados para fazer este trabalho, e passa a ser da cidade e dos cidadãos.”

O Presidente agradeceu pessoalmente a Paulo David, coordenador-geral do projeto, e a Pedro Ribeiro, porta-voz de uma extensa equipa de trabalho, que contou ainda com urbanistas, geógrafos, historiadores, engenheiros, juristas e outros técnicos, não esquecendo os contributos fundamentais de João Favila, coordenador-geral externo, e ainda dos consultores científicos Gonçalo Byrne e João Gomes da Silva. “A partir daqui, o diagnóstico ao território vivo e a compreensão e estruturação do que deve ser o futuro, têm de ter uma consequência, e a consequência são intervenções na cidade, que a possam reinventar, mantendo a sua identidade.”

O Núcleo Histórico de São Pedro será o ponto de partida, com intervenções prioritárias na Rua das Pretas, donde se destaca a reabilitação da antiga Confeitaria Felisberta. Seguem-se intervenções públicas na Praça do Município, na Avenida do Mar e na envolvência das ribeiras do Funchal, áreas consideradas nevrálgicas em termos de sociabilidade da cidade. Paulo Cafôfo enalteceu, por fim, um trabalho que considerou “extraordinário e único, que constitui um marco no pensamento da cidade para a próxima década”, na linha do que foi feito pelo Plano Ventura Terra, executado por Fernão de Ornelas enquanto Presidente da Câmara, e do primeiro PDM do Funchal, do Arquiteto Rafael Botelho, executado pelo então Presidente Fernando Couto.

“Entramos numa fase que vai ficar para o futuro. Este é um trabalho de anos, mas o pensamento e a estruturação estão definidos. É a partir deste momento que passamos para a fase de ação crítica, intervenção e realização das propostas, o que implicará, sem dúvida, a participação de todos, da sociedade civil à Academia, das Juntas de Freguesia, ao Governo Regional e ao Governo da República. É esse o trabalho integrado que começaremos agora a promover.”